Peixe pirarucu

Pirarucu

pirarucu (nome científico: Arapaima gigas) é um dos maiores peixes de águas doces fluviais e lacustres do Brasil. Pode atingir três metros e seu peso pode ir até 200 kg. É um peixe que é encontrado geralmente na bacia Amazônica, mais especificamente nas áreas de várzea, onde as águas são mais calmas. Costuma viver em lagos e rios de águas claras e ligeiramente alcalinas com temperaturas que variam de 24 a 37 °C, não sendo encontrado em zona de fortes correntezas e águas ricas em sedimentos.

É conhecido também como o bacalhau da Amazônia. Seu nome se originou de dois termos tupis: pirá, “peixe” e urucum, “vermelho”, devido à cor de sua cauda.

Esta espécie de peixe possui características biológicas e ecológicas bem distintas: De grande porte, sua cabeça é achatada e ossificada, com um corpo alongado e escamoso.

Pirarucu: Culinária Regional

O pirarucu é servido como componente principal em diversos pratos típicos do Amazonas, um desses pratos é o “Piracucu à casaca” que é bastante servido em festejos juninos. Sua carne é bastante apreciada no estado, onde é bastante requisitada. Além disso, partes de seu corpo, como sua escama, eram utilizadas no passado como lixas para unhas e outras utilidades.

Criação do Pirarucu

O pirarucu, Arapaima gigas, objeto deste estudo, é um dos maiores peixes de água doce do mundo. Ele é carnívoro, tem respiração aérea obrigatória e chama a atenção pelo rápido crescimento. Há muito tempo, a espécie tem sido uma importante fonte de alimento para os habitantes da Amazônia.

Desde a década de 1940, há registros sobre o potencial produtivo e algumas experiências de cultivo da espécie no País. Esses estudos ressaltam as suas características biológicas e zootécnicas, além do elevado valor comercial e sua importância como alimento na região amazônica.

O SEBRAE disponibiliza um manual de boas práticas de produção do Pirarucu, clique aqui

Fonte: pt.wikipedia.org

Fonte: SEBRAE